quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Caso Eloá /Julgamento Lindemberg!

Quarta trazemos noticias e não se fala em outra coisa além do julgamento do Lindemberg no fórum de Santo André, pra não dizer que não ouvi falar de alguma outra coisa essa semana por alguns minutos mencionaram a greve da Polícia Militar na Bahia/ RJ ( Inconstitucional ) assunto do post da quarta passada! Já que esse é o assunto, vamos chamar a atenção pra certos pontos que não vi as pessoas mencionando!

Caso Eloá Pimentel - O que não disseram claramente!

Se você sair por ai vai ouvir muita gente primeiro dizendo: Como que a mãe da garota deixou ela namorar um cara desses?! Eu ouvi muitos dos meus colegas futuros advogados dizendo isso, só que o hoje assassino da namorada trabalhava e ainda fazia bicos pra complementar a renda, então ele não era um cara desses naquela época! A família dele disse que depois do termino do namoro entre ele e Eloá houve um quadro de depressão,     e que ele falava em suicídio, agora vamos falar uma verdade que não tem nada a ver com o que ele fez, se esse garoto tivesse dinheiro ele taria lá fazendo terapias intermináveis com um psi(cologo/quiatra) qualquer! Outra coisa é como pode alguém conseguir uma arma de forma tão banal? O que o réu disse no julgamento foi que ele vinha recebendo(ou tava desequilibrado a ponto de achar isso) ameaças e andava com uma arma porque queria se defender (Será? A promotoria diz que ele portava arma com a intenção de matar a namorada, eu acho que ele comprou pra o próprio suicídio, talvez na frente da garota e depois aconteceu o resto), uma arma que ele conseguiu comprar por 700 reais! Claro que se ele não quisesse nada teria acontecido, mas aquilo se tornou um show e qualquer que fosse o desconto de dores de um garoto inconformado com o termino de um namoro, passou de uma brincadeira além do limite do irresponsável pra uma exibição delirante, os holofotes estavam apontados pelos motivos errados, mas se a ficha chegou perto de cair em algum momento não há como saber, na época houveram criticas inúmeras pela interferência da mídia como negociante direta com Lindemberg, o erro de Nayara (melhor amiga de Eloá) com autorização policial ter sido usada como negociante após liberta e nessa ocasião voltar a condição de refém e também na própria invasão do apartamento, quando depois de ouvir um suposto tiro a policia explodiu a porta sem prever uma barricada, dando tempo pra que Lindemberg efetuasse os disparos contra Nayara e Eloá! Como que eles não pensaram em uma barricada, ou não verificaram isso já que foram cinco dias que se passaram do inicio até o desfecho da situação?! Lindemberg foi preso e Eloá morreu no hospital, 3 anos depois vem o julgamento!

O Julgamento:


Qualquer olhar logico para o caso desde o principio já deixava claro que o réu iria ser condenado o problema foi a forma como tudo se deu, a começar pela advogada Ana Lúcia Assad (representando o réu) que demonstrou uma estratégia muito mal fundamentada pra não falar em estratégia nenhuma, para defender seu cliente em vez de procurar ressaltar as precedentes relações de Lindemberg dentro da sociedade, falta de antecedentes e emprego fixo, focou no discurso muito mal feito de seu cliente durante depoimento, ofensas a juíza Milena Dias, que de forma inteligente só não mandou-a presa por desacato em razão deste ato resultar em adiamento do processo ( Ana Lúcia será processada por ter mandado a magistrada voltar a estudar),  e tentativa de descrédito do testemunho dos envolvidos no caso ( mãe de Eloá, PM Atos, Amigos e irmão de Eloá mantidos em cárcere), em seu discurso final foi destruída pela promotora, que de forma correta, reconstruiu o caso diante dos jurados e deu ênfase aos pontos mais dramáticos, em outras palavras usou do que tinha a mão, coisa que a advogada de Lindemberg não soube fazer, jogando afirmações e não explicando os porques Ana Lúcia se perdeu totalmente! 

O réu estava sendo acusado de 12 crimes e conseguiu ser condenado em todos e pela pena máxima, o que foi uma proeza e tanto, e há duas razões pra isso a primeira já citada a advogada e a segunda a mão pesada da juíza, que jogou a dosimetria(cálculo) da pena lá pra cima, a justificativa foi seguir o pensamento de duras sentenças penais para prevenir futuros delitos (há pessoas que pensam dessa maneira), o fato é que houve na decisão influência novamente da opinião popular e dos holofotes da imprensa! É claro que se falar emocionalmente, pensando na família iremos desejar a condenação de alguém que tira uma vida, seja ela de quem for (ou de quem cometa crimes de espécies semelhantes), mas a função de um tribunal é fornecer um julgamento imparcial e serio e não foi o que ocorreu, o julgamento teve uma parcela de satisfação e outra de exibição!

Por mais condenável que seja os atos de Lindemberg e que emocionalmente eu entende plenamente os sentimentos que levam a população a pedir sua condenação máxima não posso deixar de expressar o quanto a meu ver o julgamento deste caso em vários momentos perdeu a oportunidade de mostrar um sistema judiciário melhor, porque não é condenando a 98 anos que se exibi eficiência (até porque ele só irá cumprir 30 - o máximo permitido no Brasil), a realidade é que existem milhões de criminosos piores que Lindemberg que não receberam está somatória, e não estou dizendo isso pra defende-lo, mas pra apontar pra o que ninguém teve coragem de falar! Todos acham um absurdo a cada 3 dias de trabalho o detento receber 1 dia de redução de pena mas o objetivo do sistema prisional deve ser a reinserção na sociedade, portanto que bom que eles trabalham e que se incentive isso! Não adianta nada aplicar penas duríssimas se não há lugares nas prisões, e é pior gastar dinheiro com presídios   com tanta necessidade de mais escolas e hospitais! Há  para se pensar muito além do que foi mostrado e falado!